sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Marinheiro, rema...rema... Para onde o vento sopra? Lá ele sabe!

"O desejo do analista é o desejo de se lançar no vazio sustentado no trapézio do saber que ele sabe ser instável, incompleto e sempre a ser reconstruído - para no circo das paixões da alma proceder ao ato analítico sem a rede de segurança do grande Outro. Eis a condição para deixar bater as asas do desejo do sujeito, que é sempre um equilibrista na corda da linguagem".
A prática psicanalítica vai muito além de medir sensações e deferir cálculos matemáticos. A convocação do desejo inconsciente através da subjetividade, por meio da transferência, é pagar um preço, que se paga com a pessoa do analista (como nos diz Lacan nos Escritos)!
 
 
 
 
 
Este trabalho é muito sério. Penso que seria tornar-se marinheiro que navega sem rumo definido, o leme é o saber de si próprio como analista, o mar seria a prática analítica (ética) e o vento pode ser o desejo inconsciente do paciente, pois só ele sabe para onde leva o seu próprio barco (Seu Eu).
 
 
hu!... por enquanto é o que me foi possível elaborar.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Sinceramente....

Dias como hoje resta-me escrever, talvez para me sentir mais forte (aparentemente).
Afinal, o que seríamos sem nossas defesas? Eu sempre disse, e em ato, desafiei a própria morte, mas...tem coisas que eu simplesmente não consigo, como todo ser humano.
Acredite, eu tento até onde é possível, mas as vezes será que é isso mesmo?
Como me disse um analista uma vez: TALVEZ TERÁS UMA COLEÇÃO a coleção não tem defeitos, está ali muito bela. A morte também, sem defeitos, ela aparece uma só vez.
Estranho?
Então me prove o contrário.
Mas não estou pensando em morrer não! (risos). Quando falo sobre a morte estou falando sobre "castração", o impossível e limite de todas as coisas. Tenho ainda desejos que me movem neste mundo, como por exemplo o Mestrado. No mais, realmente não sei. Existem coisas que não dependem só de você e aí está o problema maior.
O fim é inevitável, o sofrimento pode ser inevitável até o momento em que você aceite (INCONSCIENTEMENTE)... aquilo que te move. RECONCILIAÇÃO.
 
 
 



PAZ!

domingo, 30 de junho de 2013

Estou viva.

Para morrer.
A VIDA me ensinou e eu aprendi muito bem, direitinho. Desde o início, sem perceber..
Hoje eu vejo claramente...
As partes de mim mesma que estão se perdendo junto com a vida ... cada célula viva do meu corpo que morre;
Cada idealização que desaparece;
Os fios de cabelo branco... eu tento pinta-los, esconde-los mas eles estão ali e EU SEI DISSO...
Eu sei dos meus desfarces!
Cada ruga nova que aparece e desaparecem com um sorriso!
Imperfeições?
Surpresas?
Incertesas?
A vida está se indo...
A morte representada a cada dia que vivo a partir das coisas que se vão.




E eu estou... feliz com o tempo que resta. Tento fazer valer a pena.
 
Pois cheguei a conclusão de que o começo é o fim!
E que seja DIVERTIDO!

Um brinde ao fim das coisas.

sexta-feira, 29 de março de 2013

A clínica.

Desde os meus primeiros anos de faculdade ... ouço falar sobre a clínica (independente da abordagem) como algo INSTÁVEL. Após meu primeiro ano de trabalho em um ambulatório de saúde mental decidi realmente apostar em meu desejo, saí do ambulatório e comecei a trabalhar no consultório tendo-o como prioridade, ou seja, talvez aceitar alguma outra proposta de trabalho além da clínica mas em segundo plano. Inicialmente, com muitos percalços e realmente, muita instabilidade. No entanto, hoje após alguns encontros de supervisão percebi que "o buraco é bem mais embaixo". Uma pergunta apareceu: "O QUE É DE INSTÁVEL NA CLÍNICA?", e então coloquei-me a trabalho na tentativa de responder... (para mim mesma).
Pensei, re-pensei e para mim a estabilidade do trabalho só se mantém através da transferência, mas o que mantém a transferência? é o desejo do analista? em consequência disso o triplê? análise individual, o cartel e a supervisão?
Na transferência com o analista aparecem as faltas do paciente, as desistências, a insistência, a impotência, a rejeição, as lágrimas em meio a lembranças até então desapercebidas ou não lembradas. É ALI, no seting que o sujeito aparece, ele vem como está. E então... o que o analista faz com tudo o que aparece de NOVO. Onde cada caso é um caso.

O que é realmente estável ou instável na clínica PSICANALÍTICA?
 
 
É O nosso desejo que faz?


 

domingo, 3 de março de 2013

Do EnCoNtRo.

Do encontro com as tulipas;
Vermelhas... atitude, força, fé, esperança, beleza !
Não fui marcada simplesmente no corpo, minha alma perdeu-se ali, com elas.
Do encontro com...
                                 atitudes e escolhas minhas, Dor.

Identifiquei-me com alguém que as usava tatuada no braço, uma mulher linda e forte, Inteligente e independente. Que nunca se preocupou com a opinião alheia! Foi a coisa mais linda que meus olhos podiam ver e ler...



Eu...
Quando me encontrei com a psicanálise, esta que diz: "venha como estás, seja tu o que és..."...era o que eu precisava para seguir minha vida! Depois de viver uma infância inteira ouvindo que eu não tinha o direito de ser o que era, sentir-me como me sentia e estar onde estava! Eu disse um dia: "FO...-SE".
 
Tudo posso naquele que me fortalece!
O que me fortalece é o meu desejo.
 
ps: Sim! escrevo aqui de acordo com o meu desejo. De mim ou para mim. Do outro para outro. Do Outro para Outro. Não é porque estudo psicanálise a anos que tenho que escrever textos de Freud a Lacan 24 horas por dia. Mas, no entanto, se você acha interessante somente escrever ESTUDOS PSICANALÍTICOS... venha como estás... vou ler seu texto e comentar, até porque os amo (Freud e Lacan)! Mas não faça disso uma regra, já que a regra fundamental da psicanálise é a ASSOCIAÇÃO LIVRE. SABE? LIVRE! Então deixe as pessoas serem... até porque se isso não for possível para você... vai ter dificuldades na vida, na profissão, e em tudo!
beijinhos.

domingo, 3 de fevereiro de 2013




"Se a cama é para dormir e sonhar, o divã é para relatar e despertar."
(Antonio Quinet)








domingo, 20 de janeiro de 2013

Testemunha de eu.

Testemunhar a si mesmo...
É realmente se deparar com aquilo que ... Nunca será (no fundo você já sabia) mas nunca aceitou.
O impossível! Você nunca vai ter tudo, talvez tenha muito dinheiro, mas não terá tanta sorte no amor. Talvez tenha muita sorte no amor mas ... nunca será um milionário por mais que trabalhe 24 Horas por dia!
AH!
A vida é trágica e quando nascemos não nos avisaram.
No entanto, do limão aprendemos a fazer uma limonada, das tragédias algum proveito tiramos.
A vida não seria tão emocionante sem sofrimento. Quando conquistamos algo que tivemos de lutar, é saboroso demais!
Já que, como "gritaram" alguns analistas: Saber lidar com a "ameaça" de castração é ... o que possibilita o neurótico viver de uma maneira mais tranquila.

Será que é por isso que minha analista parecia uma boneca de cera?

risos.